“Mas é preciso ter força / É preciso ter raça.
É preciso ter gana sempre”.

(Milton Nascimento / Fernando Brant)

O Projeto

Tudo começou no ano de 2006 quando Eduardo Junqueira Nogueira Junior, quinta geração de uma tradicional família de cafeicultores do Sul de Minas Gerais, sofreu um ataque cardíaco e precisou repensar seus hábitos alimentares. Seu médico receitou uma taça de vinho por dia. Dessa forma, teve a grande ideia de produzir seu próprio vinho. Foi nesta época que reencontrou Murillo Albuquerque Regina, o grande pioneiro e desenvolvedor da atividade na região, que o apresentou à questão da dupla poda ou poda invertida, viabilizando o seu projeto.

As primeiras mudas de Syrah, Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc foram encomendadas e no final de 2009 plantadas na Fazenda Capetinga. As plantas se desenvolveram bem com destaque para a Syrah. A ideia ia além, não apenas produzir vinhos tintos, mas também brancos, rosês e espumantes. Em 2011 foram plantadas as de chardonnay, para a produção de espumantes.

A ideia do nome Maria Maria veio através da amizade de Eduardo com Milton Nascimento, seu conterrâneo, em umas de suas frequentes visitas à Fazenda Capetinga, quando o parreiral estava sendo implantado. Milton brincou com Eduardo, ”Eduardinho do céu, você é doido. Nunca ouvi falar em plantar uvas aqui no Sul de Minas”. Desde aquele momento, o nome do projeto foi decidido.

Outro ponto curioso em relação aos vinhos, é que cada vinho leva o nome de uma mulher ligadas à família. Na primeira safra, os vinhos se chamaram Agda (syrah 2013), bisavó de Eduardo, Ada (branco 2013), tia avó de Eduardo e Anne (rosê 2013), sua cunhada.

AS UVAS QUE DERAM ORIGEM A ESTE VINHO SÃO PROVENIENTES DA FAZENDA CAPETINGA COM AS SEGUINTES CERTIFICAÇÕES:

CERTIFICA MINAS

RAINFOREST ALLIANCE

Missão